descrição do blog

Este é um espaço para trabalhos de criação e confecção próprias.
Aqui você encontrará trabalhos em Tear de Tricô, Tricô à Máquina,
com receitas básicas, fotos explicativas, gráficos de peças e de pontos, inclusive para iniciantes nas técnicas apresentadas.
Haverá, também, trabalhos em Tricô com Agulhas e com os Dedos, Crochê Barbante e Tunisiano, Reciclagem, Customização, Costura
e algumas peças que foram confeccionadas a partir de ideias deste maravilhoso mundo virtual.
Receitas de terceiros estarão com os devidos créditos, respeitando os direitos autorais.
A intenção é compartilhar formas de terapia simples e econômicas!

bem vindos

Bem-vindos!
Houve uma mudança no nome do blog, mas ele continua o mesmo!
Agora, você encontrará outras técnicas de trabalhos manuais.

Avisos

Role a página para visualizar algumas peças e clique nos links à esquerda
para ver as páginas com as receitas.



ATENÇÃO:
Para divulgar qualquer material deste blog, use links de redirecionamento, por favor.
Assim, seus visitantes e amigos poderão conhecê-lo... Obrigado.


Se houver alguma peça que ainda não esteja com a receita ou o gráfico
(ou com problemas na visualização),
por favor, avisem-me (email, caixa de recados do blog ou facebook).
Obrigado.


quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Meia Angel - Tear de Tricô

"Pregos em Suspenso"

Vocês podem estar se perguntando: "desde quando meia no tear de tricô (pregos) é novidade"?
Realmente não é mesmo. A novidade não está na meia e sim na forma como foi confeccionada...
No tricô à máquina, trabalhamos com "agulhas em suspenso" (em espera), como por exemplo, para decotes, tecer partes separadas e meias (calcanhar e ponta do pé).
No tricô manual, deixamos "pontos em espera".
Então, porque não deixar pontos em espera no tear de tricô?
Afinal, alguém imaginava que este tear tão primitivo, fosse tão versátil e pudesse nos dar a oportunidade de tecer peças tão variadas e lindas?
Eu confesso que não conseguia tanta variedade quando tinha entre 10 e 16 anos e também não conhecia alguém que tivesse conseguido.
Assim, resolvi exigir um pouco mais destas "ripas paralelas, cheia de preguinhos" e comecei a tecer este pé de meia. Ao chegar no calcanhar, resolvi usar o mesmo método que uso na máquina e "suspendi" os pregos, ou melhor, deixei-os fora de trabalho (esperando), enquanto trabalhava os outros. Nesta peça, usei o método para formar o calcanhar e a ponta do pé, mas dá para fazer "redução de carreiras".
E não é que deu certo? A meia ficou confortável e bonita. Exatamente como aquela feita à máquina ou à mão, com costura lateral.